[]
[Trote – Pode ou não pode?]

Iniciar uma nova fase na vida é sempre motivo para ansiedade e muita curiosidade. A expectativa sobre a vida universitária geralmente toma a todos os alunos que iniciam a vida acadêmica. Muitas vezes essa ansiedade e o “frio na barriga” dão lugar à grande preocupação com relação ao trote universitário. Eis aí um tema bastante controverso no mundo universitário!   Defendido por algumas linhas e, duramente criticado por outras, o trote universitário no Brasil é considerado um rito de passagem, uma forma de “coroar” e marcar a nova fase da vida. Trote – Pode ou não pode   Além disso, o trote também envolve questões consideradas graves, tendo em vista todos os problemas já relatados em decorrência dessa tradição. Se para alguns é considerado uma brincadeira em que o objetivo é a integração entre veteranos e calouros, para outros é totalmente o contrário: soando muitas vezes como uma prática errada e que, inclusive, viola direitos, entre outras coisas. Por outro lado, há também a questão do empoderamento dos veteranos com relação aos calouros: e é aí que a brincadeira, muitas vezes, ultrapassa o limite do bom senso! Felizmente ou infelizmente as pessoas pensam e agem de formas diferentes e justamente por isso algumas brincadeiras perdem um pouco a mão. Pensando nisso, algumas faculdades fazem trotes solidários, em que realizam gincanas e arrecadam alimentos para serem doados posteriormente, organizam mutirão para pintar muros, fazem doação de sangue ou festas, onde algumas brincadeiras são realizadas com os calouros, tudo da maneira mais didática possível, fazendo o trote de forma simples e tranquila, engraçada e, até mesmo, prazerosa. Outras faculdades se abstêm da responsabilidade, deixando a cargo somente dos alunos veteranos. Também há instituições que baniram a tradição. A dica  é verificar como é feito o trote na faculdade em que você vai estudar. E o mais importante: dar uma olhadinha nas  sugestões abaixo:  

1 – Dê adeus à timidez!

Imagine ir a um lugar onde você não conhece ninguém e sair de lá totalmente familiarizado! Todo mundo é bixo e o trote faz nascer o espírito de interação entre bixos e veteranos, e com o espírito da faculdade em si.  

2 – Ih, sujou!

Considerado o "carro-chefe" do trote, sujar os bixos com vários tipos de coisas como óleo, café, tinta, vinagre, pinga, farinha, ovo e etc já é tradição! Logo, se você não quer se sujar, nem apareça no trote! Porque vai sujar e muito!  

3 – Vá com uma roupa para jogar fora

Nunca, jamais, em hipótese alguma, se arrume para o trote! Além de não existir sabão em pó para conseguir limpar a meleca que vai ficar sua roupa, estragar as roupas dos bixos com a tesoura também é uma brincadeira bem tradicional no trote. Apenas tome cuidado para que nenhum engraçadinho corte demais!  
  1. Trote no cabelo

Simmmm! Ele existe! E não! Eles não propõem cortar cabelos de meninas! Mas ele vai ficar bem nojento, e o cheiro de ovo vai demorar, no mínimo, 1 semana para sair totalmente. É bom se preparar psicologicamente, assim como preparar os shampoos, condicionadores e cremes! Já os meninos não tem a mesma sorte e por isso os veteranos vão querer deixar vocês carecas! Tem gente que entra na brincadeira e deixa raspar, mas se você não quer, não é obrigado! trote-com-cabelo-na-faculdade-  
  1. Bebidas

Os veteranos vão oferecer bebidas de cores e sabores diferenciados! Mas não se iluda: toooodas são daquelas bem baratas! São os famosos “mata rato”, ou seja, aquela pinga de 2 reais, vodkas de 10 e outras que não custam nem isso. É claro que você não é obrigado e, se preferir não beber, eles vão jogar na sua cabeça como alternativa.
  1. Mendigar no farol

Essa também é bastante comum! Vão convidar os bixos para irem ao bar e, para pagar a conta, todos vão pedir dinheiro no farol. Divertida, engraçada e  até prazerosa,  a brincadeira faz com que cenas inusitadas aconteçam durante o evento!   caloura-mendigando-no-farol É importante frisar que o clima deve ser de alegria, integração e descontração, por isso, no estado de São Paulo, há uma lei que proíbe o trote violento nas universidades onde diz que o trote não é permitido quando promovido “sob coação, agressão física, moral ou qualquer outra forma de constrangimento que possa acarretar risco à saúde ou à integridade física dos alunos”. Portanto, ao menor sinal de se sentir em uma dessas situações descritas no texto de lei, vale a pena pedir ajuda, ir até a direção da faculdade e denunciar. Vale a pena procurar saber como é o trote na faculdade que você escolheu antes da data marcada, para que não haja nenhum problema ou desilusão posterior.